03/11/2015 – RANKING GLOBO RURAL: Aurora é a melhor empresa do segmento de aves e suínos do Brasil

3 de novembro de 2015

A Cooperativa Central Aurora Alimentos, de Chapecó, é a melhor empresa do segmento de aves e suínos de acordo com levantamento da Editora Globo (Revista Globo Rural) que acaba de publicar a edição 2015 do ANUÁRIO DO AGRONEGÓCIO. A escolha das melhores empresas do agronegócio brasileiro foi realizada com base em metodologia que adota uma série de critérios, tem por base os questionários da pesquisa e as demonstrações contábeis enviadas à Consultoria Serasa Experian. 

Os consultores da Serasa levaram em conta as demonstrações contábeis individuais das companhias analisadas em suas atividades no Brasil. Os fatores analisados foram ativo circulante, ativo permanente, ativo total, capitais de terceiros, endividamento, giro do ativo, imobilização de recursos próprios, liquidez corrente, lucro da atividade, lucro líquido, margem da atividade, margem líquida, média setorial, origem do capital, passivo circulante, patrimônio líquido, receita líquida e rentabilidade do patrimônio, entre outros.  A Coopercentral Aurora Alimentos foi eleita a melhor empresa do País do segmento de aves e suínos, um dos mais avançados setores da economia brasileira, no qual detém o segundo lugar em receita líquida e em ativo total, o décimo em rentabilidade do patrimônio líquido e em evolução do ativo. O presidente Mário Lanznaster disse que a escolha “homenageia uma comunidade formada por mais de 100 mil famílias, cuja vocação para o trabalho e para a produção de alimentos de qualidade se notabilizou nacionalmente”. No ano passado, a Aurora obteve o maior faturamento e o melhor resultado líquido de seus 45 anos de história: com crescimento de 18%, a receita operacional bruta chegou a 6,7 bilhões de reais, enquanto as sobras inflaram 38% e atingiram 417,9 milhões de reais. Com uma margem líquida de 6,83%, a cooperativa respondeu por um dos melhores desempenhos do mercado brasileiro de proteína animal. A receita total foi 80% dela obtida no mercado doméstico e 20% no mercado internacional. O maior crescimento ocorreu com as vendas no mercado externo que se elevaram em 30% e atingiram um faturamento líquido de 1,3 bilhão de reais. Os principais itens exportados foram carnes de aves (988 milhões de reais) e carnes suínas (390 milhões de reais).No mercado interno as vendas líquidas de devolução aumentaram 8,6% em volume e 15,9% em faturamento, chegando a 5,4 bilhões de reais. As carnes suínas contribuíram com 2,8 bilhões de reais nas vendas internas, as carnes de aves com 1,3 bilhão de reais e os derivados lácteos com 729 milhões de reais; os derivados de massas com 67 milhões de reais, rações suínas com 62 milhões de reais e carnes bovinas com 60 milhões de reais. Também foram comercializados no mercado nacional reprodutores, pintos, ovos e matrizes, derivados vegetais e outras mercadorias.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.