11/02/2016 – AGRICULTURA FAMILIAR: Cooper A1 recebeu dirigentes do MDA sobre programa biodiesel

11 de fevereiro de 2016

A direção da Cooper A1 recebeu, na quinta-feira (4/2), representantes do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), entre eles, o coordenador geral de biocombustíveis, Marco Aurelio Pavarino. A intenção foi se inteirar sobre os trabalhos da cooperativa que é habilitada no Programa Nacional da Produção do Biodiesel (PNPB). A visita contou, ainda, com a presença do consultor em biodiesel, Leocir Zortea e do engenheiro agrônomo Roberto Terra.
O presidente da Cooper A1, Elio Casarin, junto com o 1º vice-presidente, Lauri Inácio Slomski e 2º vice-presidente, Santo Tumelero, resumiu a atuação da Cooper A1, com destaque para o trabalho da equipe técnica, que hoje é composta por cerca de 90 profissionais à campo. Casarin, destacou que a Cooper A1 possui, hoje, mais de 8.260 associados, sendo estes mais de 90% da agricultura familiar, com até 20 hectares de área cultivável. Ele avalia que a implantação do programa de biodiesel fortaleceu entre os sócios as potencialidades para a produção de matéria prima, sendo a soja a principal delas.
Durante a reunião, o coordenador-geral de biocombustíveis, Marco Aurelio Pavarino, explicou que intuito é se aproximar das cooperativas, que hoje são as grandes parceiras do programa biodiesel. “Queremos conhecer melhor o trabalho das cooperativas habilitadas com seus agricultores de grãos, desde a assistência técnica ao fomento de produtividades”. Pavarino lembrou que, com a obrigatoriedade da adição de 7% de biodiesel ao diesel consumido no país, a demanda pela matéria prima aumentou muito. “Ter uma cooperativa forte e bem estruturada, com técnicos e gestão inteligente torna o processo de produção de biodiesel mais eficiente e sustentável”, disse.
Segundo Pavarino, o objetivo também é se inteirar sobre o processo de integração de suínos e aves na parceria com a Cooperativa Central Aurora Alimentos, com vistas a inclusão de gordura animal no programa nacional de produção de biodiesel, bem como de outras fontes de energia renováveis, como: biogás, solar e eólica.
Produtores de soja com DAP atualizada podem participar
A Cooper A1 é habilitada no programa biodiesel desde 2007. Com este certificado do Ministério do Desenvolvimento Agrário e da Secretaria da Agricultura Familiar, a cooperativa passou a ser fornecedora oficial de matéria prima às empresas brasileiras produtoras de biodiesel, para fins de concessão e manutenção do Selo de Combustível Social.O 2º vice-presidente da Cooper A1, gerente de cereais, Santo Tumelero, que é coordenador do programa na cooperativa, explica que o objetivo principal é o fortalecimento da agricultura familiar. Todos os produtores de soja da Cooper A1, principal matéria prima do biodiesel, e que possuem a DAP (Declaração de Aptidão ao Pronaf) são aptos a participar. “A vantagem para os sócios, além de bônus aos participantes que comercializarem a soja com a cooperativa, é o incentivo ao cultivo da cultura, melhorando sua remuneração. A cooperativa é comprometida com seus associados e proporciona assistência técnica qualificada e a garantia do recebimento da produção”, explica Santo.
Tumelero explica que, este bônus é mais um dos motivos da importância de manter a DAP atualizada, além da obtenção de financiamentos a juros mais acessíveis.
Programa Nacional de Biodiesel
O Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel completou, em 2015, 10 anos, e contribui para que o Brasil compre menos diesel mineral de outros países, estimulando a produção e o consumo de fonte de energia limpa e não poluente. Incentiva também a agregação de valor aos grãos dentro do país. Hoje, são 41 usinas em parceira com agricultores familiares, que produzem cerca de 7 bilhões de litros de biodiesel por ano. Legenda imagem:Direção e gestores da Cooper A1 recebem representantes do MDA sobre programa biodiesel

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.