13/07/15 – Reuniões de Avaliação encerram com público de 4.500 pessoas

“Promover o crescimento tecnológico, econômico e social dos cooperados e comunidade, valorizando o indivíduo e o meio ambiente, somando valores a produção agrossilvipastoril através da ação cooperativa”. Esta é a missão da Cooper A1, que foi amplamente reforçada durante as Reuniões de Avaliação 2015, que contaram com o público recorde de mais de 4.500 cooperados e familiares. As Reuniões de Avaliação, realizadas em meados de cada ano, iniciaram no dia 9 de junho e foram até 10 de julho, passando pelas 17 unidades da cooperativa, em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul. A Cooper A1 chegou a junho de 2015, com um total de 8.114 cooperados, quase 500 a mais em relação ao mesmo período do ano passado. Destes, 74% estão em Santa Catarina e 26% já se encontram no Rio Grande do Sul, onde recentemente a cooperativa iniciou as atividades em sua 17º unidade administrativa, no município de Vista Gaúcha. Já o número de colaboradores diretos, até junho, se encontrava em 1.069 nos 17 municípios em que a Cooper A1 atua. 

Resultados econômicos Nas reuniões, a direção apresentou de forma detalhada os indicadores econômicos e de produção. A Cooper A1 obteve, no primeiro semestre de 2015, um crescimento 10%. Até junho obteve um faturamento de R$ 431 milhões com sobras líquidas de 2,2%. A suinocultura continua sendo a atividade econômica de maior representatividade em termos de faturamento, com cerca de 24% do total. Logo em seguida, vem as lojas agropecuárias com a fatia de 21% da receita global. As demais atividades (fábricas de rações, leite, cereais, aves, supermercados e postos de combustíveis) juntas são responsáveis pelos 55% do faturamento nos primeiros seis meses de 2015 da Cooper A1. As atividades agropecuárias fins tiveram um crescimento aproximado de 14% em termos de faturamento, em relação a janeiro a junho de 2014. Nas atividades de consumo, as lojas agropecuárias tiveram uma pequena desaceleração nas vendas, se comparado aos seis primeiros meses do ano passado. Já a atividade de supermercados teve crescimento nas vendas de 10,5%, enquanto os postos de combustíveis 18,1%. Segundo o presidente, Elio Casarin, apesar das margens e sobras líquidas apertadas, a Cooper A1 obteve desempenho satisfatório neste primeiro semestre de 2015, com todos envolvidos comprometidos com as metas estabelecidas no planejamento estratégico. “A Cooper A1 tem foco no cooperado e sua performance econômica precisa estar estruturada de maneira eficaz a fim de gerar resultados positivos aos mesmos. Estamos trabalhando engajados, buscando fortalecer o sócio e a sua cooperativa, garantindo a sobrevivência hoje e estabelecendo planos de crescimento sustentado para sobreviver amanhã”, afirma Elio Casarin. Força social Com o objetivo primeiro de proporcionar as pessoas envolvidas com o cooperativismo, não apenas ganhos financeiros, mas sobretudo níveis mais elevados de bem-estar e qualidade de vida, as ações de caráter social ganham cada vez mais espaço. A eficiência social da Cooper A1 pode ser medida pelas palestras, cursos, atividades voltadas ao lazer e cultura, assistência técnica, entre outras envolvendo cooperados e colaboradores.Somente com o quadro social, no primeiro semestre de 2015, a Cooper A1 iniciou 12 cursos do De Olho Na qualidade Rural e sete do Qualidade Total Rural. No Cooperjovem, uma segunda escola de educação básica passou a integrar o programa, e hoje são 50 professores e 800 alunos envolvidos. A 4ª turma do JovemCoop, com 20 jovens, deu continuidade ao seu último semestre do programa. No programa Mulher A1/Sicoob, em andamento as atividades com os 69 Núcleos Femininos Cooperativistas que envolvem mais de 1.500 mulheres. REUNIÕES DE AVALIAÇÃO Realizadas todos os anos, as Reuniões de Avaliação têm caráter deliberativo. Os eventos são um canal de comunicação com o quadro social e uma forma de prestação de contas com os cooperados, com a apresentação de indicadores econômicos e sociais. Este é o momento em que a diretoria executiva passa por todas as unidades, possibilitando uma maior interação e aproximação com o quadro social e buscando identificar suas principais reivindicações, sugestões e expectativas. Segundo o presidente Elio Casarin, o objetivo é primar pela transparência e equilíbrio dos trabalhos reforçando a responsabilidade de cada cooperado enquanto coproprietário. “A participação dos cooperados vêm crescendo a cada ano. Isso é muito bom, pois indica uma cooperativa bem representada, composta por cooperados atuantes e com visão coletiva. Somente com a participação de todos podemos construir uma entidade que atinja seus objetivos de gerar resultados satisfatórios”, afirma Casarin. 5º princípio: Educação, formação e informação Além da prestação de contas, as Reuniões de Avaliação são mais uma oportunidade de colocar em prática o 5º princípio do cooperativismo: Educação, formação e informação. Neste ano, cooperados e familiares tiveram a oportunidade de acompanhar uma palestra ministrada pelo parapsicólogo, professor Renato de Oliveira, que abordou temas como valores, educação, cooperação e desenvolvimento”. O objetivo foi mostrar a importância do ser humano, resgatando seu potencial e seu papel na comunidade.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.