16/12/2015 – FORMATURA: Programa Escola A1 do Leite capacitou 78 famílias cooperadas

16 de dezembro de 2015

Oferecer todo o suporte necessário para o produtor de leite ter sucesso na atividade. Esse é o trabalho diário da equipe técnica da Cooper A1. Em 2015, o programa Escola A1 do Leite foi mais uma ferramenta pensada para melhorar a vida do produtor rural. Um curso modular que mostrou a importância do gerenciamento zootécnico da atividade e ensinou formas simples, mas eficientes, de se fazer isso. A todo, 78 famílias cooperadas, de nove municípios da área de atuação da Cooper A1 em Santa Catarina, entenderam a importância deste curso e integraram, em 2015, as primeiras turmas do programa Escola A1 do Leite. A formatura destes produtores rurais foi na quinta-feira, 10/12, na Associação dos Funcionários da Cooper A1, em Palmitos, com a presença de associados e familiares, diretores da Cooper A1 e Aurora Alimentos, gerentes e demais convidados. Profissionalização é o único caminho Na formatura, o presidente da Cooper A1, Elio Casarin, ao parabenizar os formandos, destacou que os produtores comprometidos sabem que para ter resultados consistentes precisam se profissionalizar. “O produtor que busca aprimoramento e qualificação na atividade é aquele que vai estar sempre um passo à frente, mais do que isso, é aquele que permanecer na atividade”. Já o 1º vice-presidente, Lauri Inácio Slomski, lembrou que a equipe técnica da cooperativa está sempre pronta para mostrar aos cooperados como obter os melhores resultados no leite. “O cooperativismo busca, acima de tudo, o desenvolvimento do quadro social, e o produtor que seguir os padrões de profissionalização da atividade, sempre vai ter sucesso, basta cada um fazer a sua parte”. O diretor agropecuário da Cooperativa Central Aurora Alimentos, Marcos Antônio Zordan, que também é presidente da Organização das Cooperativas de Santa Catarina (Ocesc) ressaltou, na oportunidade, a relevância de inciativas como esta. “É uma grande satisfação ver uma cooperativa e seu departamento técnico comprometidos de forma tão intensa com seu quadro social. Da mesma forma, temos que parabenizar os produtores que vão em busca de profissionalização e se voluntariaram para este curso, assumindo, desta forma, sua responsabilidade na condução e sucesso da atividade”. Escola A1 do Leite O programa Escola A1 do Leite é um curso modular, idealizado pela equipe técnica do leite da Cooper A1. O curso iniciou em abril de 2015, e teve duração de nove meses. Cada turma contou com um encontro mensal em seu município. O conteúdo focou em três aspectos principais: gerenciamento zootécnico, padronização das planilhas de anotações da atividade do leite e, a partir disso, dinamizar a assistência técnica. Isso tudo para a profissionalização e eficiência das propriedades, bem como fornecer leite de qualidade, saudável e seguro à Aurora Alimentos. As primeiras turmas foram formadas em Palmitos, Riqueza, Caibi, Mondaí, Descanso, Tunápolis, Itapiranga, São João do Oeste e Iporã do Oeste. Juntas estas propriedades entregaram, no ano passado, mais de 13 milhões de litros de leite para a Cooperativa A1. Segundo gerente da atividade na Cooper A1, Egon Grings, o intuito é, já no próximo ano, dar continuidade ao programa, com novas turmas e envolver os formandos na primeira fase no curso de gerenciamento financeiro. “Daqui para frente continuará na atividade do leite quem for profissional, por isso a cooperativa disponibilizará todas as ferramentas para o produtor produzir mais e melhor”, afirma Grings. A médica veterinária do leite em Santa Catarina, Graziela Hoff, idealizadora do projeto junto com a equipe técnica, destaca sobre a necessidade de os produtores formados no programa continuarem aplicando o conhecimento adquirido daqui para a frente. “Esta foi uma etapa e precisamos que cada produtor continue utilizando o conhecimento que adquiriu na sua propriedade. E isso não é para a Cooper A1 ou equipe técnica. O produtor precisa saber que ser profissional na atividade é para o bem dele e sua família. Nós, da equipe técnica da Cooper A1, vamos sempre fazer o possível para que ele tenha sucesso, mas no dia a dia fica a responsabilidade é do produtor de fazer sempre o melhor e, desta forma, obter sucesso e viver bem”. Aprovado pelos produtores Para a cooperada Vania Marchesan, de Descanso, o programa Escola A1 do Leite foi um divisor de águas. “O aprendizado foi muito grande. Ampliamos nosso conhecimento sobre a importância de gerenciar de forma organizada nossa atividade e sair do campo do “achismo”. Sabendo exatamente o que devemos fazer, o que está bom e o que precisa ser melhorado, com certeza temos mais resultados em termos de produção e financeiro”. Já o cooperado de Caibi, Diego Demartini, afirmou que o curso mostrou que fazer o gerenciamento da atividade do leite não é difícil. “O Escola A1 do leite abriu as portas para novas possibilidades na atividade do leite. Hoje identificamos os pontos fortes e fracos e o que precisamos fazer para evoluir. Entendemos como conhecimento e as informações organizadas, são ferramentas valiosas”. 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.