Cooper A1 mantem áreas experimentais para avaliar as melhores tecnologias em híbridos

Avaliar as características e o desempenho de diferentes variedades dehíbridos de milho para repassar aos associados informações atualizadas sobre oque tem de mais moderno em tecnologia agrícola e adequado a área de ação daCooper A1. É com este o objetivo que a cooperativa desenvolve, todos os anos,áreas experimentais de lavouras em parceria com produtores associados. Nalavoura 2012/2013, entre as áreas experimentais implantadas, está a dapropriedade do associado Fábio Noetzold, na Linha Pavão, Palmitos. No local, dedois hectares, estão sendo cultivadas 20 variedades de híbridos, de diferentesempresas, e utilizado fertilizantes da Federação das Cooperativas do Estado deSanta Catarina (Fecoagro).

No último dia 29 de outubro, a equipe técnica da cooperativa,juntamente com o gerente da atividades de Cereais da Cooper A1, Santo Tumelero,efetuou uma análise da evolução e do comportamento da lavoura, que teve plantiono início de setembro, e que conta om variedades de híbridos das empresasAgroceres, Syngenta, Dekalb, Pioneer e Coodetec. Segundo o engenheiro agrônomoda Cooper A1, Jaime Lehnen, como facilitadores e mediadores na difusãotecnologias, a equipe técnica procura avaliar as novidades e a diferença dosmateriais, em relação a produtividade, sanidade, altura e arquitetura deplanta, área foliar, precocidade, produção e outras características peculiaresde cada hibrido. “Estamos também observando as diferentes tecnologias para que,depois de concluído o processo, a equipe técnica da Cooper A1 possa divulgar osresultados reais acerca do potencial de cada híbrido, bem como, demaisinformações agronômicas referentes a cultura do milho” diz Jaime.

Fertilizantes de altatecnologia

Nos dois hectares da área experimental, a equipe técnica da Cooper A1em parceria com o produtor Fábio Noetzold, estão utilizando um sistema deprodução de alta tecnologia. As variedades foram plantadas entre os dias 5 e 6de setembro e estão apresentando desempenho acima da média. Na adubação de basefoi utilizado o Ferti Mais da Fecoagro (Base,no plantio) e 300 kg/ há naformula  10/25/12 com micro nutrientes. Emcobertura duas aplicações do Cooper N, também da Fecoagro e que é uma novidadeno mercado com um composto adicionado a ureia, o UREMAX / AGROTAIN / NBPT.

De acordo com o engenheiro agrônomo da Fecoagro, Jose Almery Padilha,o Cooper N, produzido na nova fábrica da Federação, em São Francisco do Sul(SC), oferece inúmeras vantagens na aplicação de nitrogênio, reduzindo avolatilidade e as perdas nas lavouras. Além disso, o produto pode ser aplicadocom o tempo seco, tendo como base a previsão do tempo. “O Cooper N foi lançadoem 2011 e a ampliação da produtividade e qualidade das lavouras já foicomprovada. A aceitação é tanta que, em cerca de um ano, já foram comercializasoito mil toneladas do produto”, enfatiza Padilha.

Novidades no “quintal de casa”

O jovem associado Fábio Noetzold comemora os resultados positivos jáalcançados na lavoura. “A parceria com a Cooper A1 permite a troca deresultados e informações da teoria e na prática, além de ampliar e buscar osnovos conhecimentos acerca das novidades tecnológicas,” diz Fábio. De acordocom ele, esta é uma oportunidade única para adquirir experiência emplanejamento e na condução de sua atual e futuras lavouras.

O gerente da atividades de Cereais da Cooper A1, Santo Tumelero,destaca que a Cooper A1 tem como filosofia manter o quadro social sempre beminformado, principalmente no repasse de novas tecnologias. Segundo Santo, aárea experimental na Linha Pavão, em Palmitos, é mais um exemplo de ação quevisa manter atualizado o leque de informações que se estende a todo quadrosocial da cooperativa, sempre primando pelas opções sustentáveis, de melhoriada renda e qualidade de vida da família rural associada.

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.