COTA CAPITAL: Uma vida de parceria e cooperação

COTA CAPITAL: Uma vida de parceria e cooperação
Um dos princípios do cooperativismo é a participação econômica dos associados nos resultados da cooperativa. Em 2017, dezenas de cooperados retiraram sua cota capital na Cooper A1. No Estatuto Social da cooperativa, está previsto que 40% das sobras líquidas do exercício anual devem ser distribuídas aos associados conforme a sua participação na cooperativa. Destes, 15% são retirados em dinheiro pelos associados e os 25% restantes vão para a cota capital de cada sócio. Os outros 60% das sobras líquidas do ano são destinados aos fundos legais e estatutários.

O que está na cota de cada cooperado, é proporcional as suas compras e vendas na cooperativa. Os homens que completarem 60 anos e as mulheres que completarem 55 anos, se tiverem 10 anos de permanência na cooperativa, poderão ter acesso a 60% do acumulado arrecadado. O restante pode ser retirado aos 65 anos para os homens e 60 anos para as mulheres.

Lembrando que, a partir dos 69 anos de idade para o homem 64 para a mulher, o sócio tem a possibilidade de retirar novamente sua cota capital e, partir de então, a cada dois anos de atuação na cooperativa, proporcionalmente ao período. É uma maneira de valorizar o trabalho dos associados, que são os donos do negócio, são eles que acreditam na força do cooperativismo e o impulsionam.

A devolução da cota pode ser solicitada nas unidades da Cooper A1. O presidente da cooperativa, Elio Casarin, comentou que enquanto o associado trabalha junto a cooperativa, ele está construindo seu patrimônio, por isso, como forma de reconhecimento os sócios recebem cota capital.

Na fotografia, o associado Dario Baronio, de Planalto, que completou 65 anos e retirou sua cota capital