Governo chinês aumenta medidas de segurança para lácteos importados

Após uma série de escândalos, oórgão do governo da China que cuida da segurança alimentar planeja introduzirregulamentações mais rígidas sobre as importações e exportações de produtoslácteos. Qualquer produto lácteo importado que não cumprir com os padrões desegurança, sanidade e ambientais deverá ser destruído dentro de três meses ouretornar ao país de origem, de acordo com uma regulamentação divulgada pelaAdministração Geral de Supervisão de Qualidade, Inspeção e Quarentena da China.

A Regulamentação de Supervisão eControle de Inspeção e Quarentena de Produtos Lácteos Importados e Exportadosentrará em vigor em 1 de maio. O ex-presidente da Associação da Indústria deLácteos de Guangdong, Wang Dingmian, gostou da medida e disse que umasupervisão mais rígida poderá ajudar a proteger a segurança dos clientes e aforçar os processadores a prestar mais atenção aos padrões nutricionaisexistentes no país.

A ex-chefe de pediatria doHospital de Medicina Integrada Tradicional e Ocidental de Pequim, Zhang Silai,disse que a dicianodiamida (DCD) encontrada no leite em pó da Nova Zelândia éum exemplo de substância que não faz parte das atuais regulamentações. “É umelemento que não deve ser permitido no leite, de forma que não deve seresquecido de ser listado. Não sabemos ainda os danos que esse elemento poderiacausar”.

A descoberta de DCD no leite daNova Zelândia repercutiu bastante na China. O Ministério das IndústriasPrimárias da Nova Zelândia vem desde então insistindo que não há risco desegurança alimentar. Entretanto, muitos pais chineses continuam apreensivos emusar produtos importados da Nova Zelândia.

Dingmian e Silai disseram que nãohá necessidade de preocupação por parte dos pais em importar leite em pó da NovaZelândia, devido às pequenas quantidades da substância envolvida. Uma pessoa de60 quilos teria que beber mais de 130 litros de leite para que consumissequantidade acima do aceitável de DCD, de acordo com padrões da ComissãoEuropeia, e “consideravelmente” mais para ter efeitos adversos para a saúde,disse Wayne McNee, diretor gerente do Ministério para Indústrias Primárias daNova Zelândia.

A China se tornou o maior mercadomundial de fórmulas infantis feitas com leite em pó, porque os pais chinesesperderam a confiança em suas próprias marcas após o escândalo de contaminaçãodo leite em 2008. Em 2012, 80% dos produtos lácteos importados pela Chinavieram da Nova Zelândia.

A reportagem é dohttp://www.chinadaily.com.cn traduzida e adaptada pela Equipe MilkPoint.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.