Grãos ensaiam nova recuperação e mercado fecha terça-feira em alta

7 de novembro de 2012

Os futurosdos grãos negociados na Bolsa de Chicago encerraram a sessão desta terça-feira(6) em terreno positivo. Quem liderou os ganhos foi a soja, entretanto, omercado devolveu boa parte das altas registradas ao longo do dia, que seaproximaram dos 20 pontos, e terminaram o pregão subindo entre 6,50 e 13,50pontos.

O mercado degrãos tentou se recuperar das baixas da sessão desta segunda-feira (5) e opera,segundo analistas, em cima de expectativas, buscando um direcionamento para ospreços. Como disse Carlos Cogo, consultor de mercado da ConsultoriaAgroeconômica, essa alta foi, portanto, apenas uma correção das cotações.

Nestasexta-feira, 9 de novembro, o USDA (Departamento de Agricultura dos EstadosUnidos) atualiza seus números de oferta e demanda e a espera por esses novosdados acaba trazendo bastante volatilidade aos negócios.

Aexpectativa, de acordo com o analista de mercado da Cerealpar Steve Cachia, éde que apesar da seca que houve nos Estados Unidos, o departamento divulgue umaumento na produção de soja do país. “A projeção média do mercado é de quea safra de soja possa aumentar em até 1 milhão de toneladas e a de milho em até2 milhões de toneladas”.

Casoconfirmada essa revisão para cima, ainda de acordo com o analista, poderia serentendida por alguns investidores como fatores de pressão negativa para ospreços, entretanto, os estoques ainda devem continuar baixos e a demandabastante aquecida, o que mantém uma tendência de recuperação para os preços dosgrãos.

Além dosnúmeros para os Estados Unidos, o USDA poderia trazer também uma redução naprodução de soja da China, o que poderia resultar, consequentemente, em umaumento das exportações por parte da nação asiática. Entretanto, como explicouCachia, o principal foco do mercado ainda deverão ser os números sobre acolheita norte-americana.

 “Tudoindica que a demanda continue bastante forte e agressiva em nível mundial e comisso se reforça a ideia de que ainda não existe nível de preços suficiente paraprovocar um racionamento que será preciso no início de 2013”, completouCachia.

Até quesaiam esses novos números, na sexta-feira, o mercado deverá continuar operandoem cima de expectativas do que em fundamentos, buscando um direcionamento maisconsolidado. No entanto, conhecidos os novos dados do USDA, o mercado volta afocar a situação do clima na América do Sul e já começa a procura por novasinformações sobre a “guerra por área” nos Estados Unidos para a novasafra.”Omercado acompanha diretamente o clima na América do Sul e a situação mundialdepende de uma safra relativamente cheia. De um modo geral, tirando algunsproblemas isolados, o entendimento do mercado é que, do ponto de vista macro, asituação é bastante favorável”, diz o analista.

 Fonte:Notícias Agrícolas // Carla Mendes

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.