Substância tóxica é encontrada em leite da Nova Zelândia

Uma substância tóxica foiencontrada no leite da Nova Zelândia em um golpe potencial à indústria delácteos de NZ$ 1,1 bilhão (US$ 925.837 milhões) do país.

As duas maiores companhias defertilizantes do país, Ravensdown Ltd. e Ballance Agri-Nutrients Ltd.,suspenderam as vendas de dicianodiamida ou DCD, após baixos níveis terem sidoencontrados em produtos lácteos. Os produtores aplicam CDC às pastagens para evitaro nitrato, subproduto do fertilizante que também pode causar problemas desaúde.

Embora não haja padrõesinternacionais para níveis aceitáveis de DCD em alimentos, em altas doses essasubstância é tóxica para humanos. Oficiais do Governo na quinta-feiraexpressaram preocupações sobre os potenciais danos à imagem da indústria que éresponsável por quase um terço das exportações do país.

“A reputação da Nova Zelândia ébaseada na alta qualidade dos alimentos que produzimos”, disse a vice-diretorade padrões gerais do Ministério das Indústrias Primárias da Nova Zelândia,Carol Barnao, que é responsável pelas exportações e por proteger a nação dosriscos biológicos. Um estudo do Governo sobre o uso de DCD está sendo feito.

A New Zealand Grocery RetailerAssociation and Progressive Enterprises Ltd., que opera a rede de supermercadosCountdown, não quis comentar o caso. A distribuidora de alimentos, FoodstuffsAuckland Ltd., não pode ser encontrada para comentar.

Em 2008, a Fonterra CoopetativeGroup Ltd., uma das maiores companhias da Nova Zelândia, envolveu-se em umescândalo referente ao fornecimento de leite contaminado na China. Pelo menosseis crianças morreram e 300.000 ficaram doentes por consumirem leite contendoníveis perigosos de melamina, um químico industrial que mimetiza aspropriedades da proteína, permitindo que os produtores acrescentassem água noleite sem aparentemente diluir o valor nutricional. A Fonterra possuía a maiorparte de uma das companhias no centro do escândalo, a agora falida Sanlu Group.

A Fonterra é a maior exportadorade produtos lácteos do mundo e a descoberta de químicos nos produtos lácteospode se tornar um problema comercial, disse o diretor gerente de assuntospúblicos, Todd Muller. Ele classificou a suspensão do uso de DCD como uma“abordagem responsável”.

Muller disse que o fato poderiaser um problema para os parceiros comerciais que têm tolerância zero pararesíduos detectados fora dos padrões. “Na maioria dos casos, seus padrões sãoabsolutamente silenciosos sobre isso. Então, tecnicamente, você estariaviolando esses padrões mesmo se o DCD estiver presente em quantidades muitopequenas no leite”.

A reportagem é do The Wall StreetJournal e do Radio New Zealand, traduzida e adaptada pela Equipe MilkPoint.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.